Cap 4. A cidade vista por dentro.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

         No capitulo 4 o autor fala um pouco sobre a segregação residencial que afeta todas as cidades e é um fenômeno que ocorre desde a antiguidade, fazendo então, a diferenciação da segregação induzida e auto-segregação.
          Na segregação induzida, segundo o autor, as pessoas não escolhem o lugar que passam a ocupar, este é fruto das baixas condições financeiras da população, exclusão racial e outros. A auto-segregação, no entanto, é praticada por pessoas constituintes da elite, que decidem afastar-se das zonas centrais para habitar regiões de melhor qualidade ambiental. Neste último caso, o autor explica que este movimento não pode ser confundido com a segregação induzida, uma vez que este grupo de indivíduos são os responsáveis, mesmo que por omissão, da deterioração do espaço urbano antes habitado por eles e seu novo local não representa uma perda.
          A segregação induzida pode apresentar motivos diferentes em diferentes regiões mas suas semelhanças ocorrem na discriminação racial ou socioeconomica, estando essas duas geralmente ligadas entre si. Este fenômeno pode ocorrer de maneira desapercebida ou escancarada como ocorreu por volta de 1934 no EUA com a criação da Redlining, onde foram mapeadas cerca de 239 cidades e criado o "residential security maps"onde foram feitas a separação de áreas mais "desejaveis"para investimentos e áreas de risco ( baseadas na configuração etnica e racial da população ), as quais foram negadas serviços como bancos, seguros, centros de saúde e até supermercados.
          Essa diferenciação de áreas mais "privilegiadas" ocorre de maneira parecida em diferentes lugares apresentando muitas vezes a mesma configuração espacial, sendo essa configuração estudada por diversos autores na tentativa de projetar modelos de organização interna da cidade.



0 comentários:

Postar um comentário

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB